top of page

5 atitudes para te ajudar a transformar padrões limitantes nas relações

Sabe aquela reação repetitiva, que sempre gera contração em você e nos outros ao seu redor? Aquele vício, reatividade, negatividade? A situação e a pessoa mudam, mas a reação é basicamente sempre a mesma. Isso porque tem pouco a ver com a pessoa e com a situação, e muito mais a ver com a sua história, traumas de infância e experiências não digeridas do passado.


Quero te passar dicas de 5 atitudes que podem te dar uma força a partir do momento que você cansa desse padrão e decide:

🔥 Chega, não dá mais pra continuar agindo dessa forma!


1. A primeira atitude é de sinceridade e curiosidade para identificar e investigar o padrão. Antes de mudar algo, precisamos olhar e construir um entendimento mais profundo. Todos os padrões limitantes são constituídos por 3 aspectos:

• Pensamentos,

• Emoções,

• e Comportamentos.


Sugiro que você pegue um papel e descreva um padrão que gera sofrimento desnecessário em você e nos outros, dentro dessas três dimensões. Também coloque qual é o efeito que esse padrão tem sobre o seu estado interno e como ele afeta as suas relações.


2. Cultive auto-aceitação e auto-compaixão.

Enquanto nós resistimos e julgamos algum aspecto em nós, nós negamos o fluxo da luz da consciência amorosa e acolhedora para as partes mais densas e inconscientes do nosso Ser.


A atitude gentil de aceitação sempre é a base de uma transformação real e essa é justamente a qualidade que devemos cultivar. Na verdade, a nossa essência já é a manifestação da pura aceitação e compaixão e nós precisamos apenas nos abrir para essa realidade.


3. Tenha disposição para sair da zona de conforto, encarando o incômodo e a dor do padrão limitante.


A nossa dificuldade em mudar um padrão limitante vem da nossa resistência em enfrentar ele com todos os seus efeitos que incomodam e geram dor. Através da abertura para sentir esse incômodo e dor, nós recebemos um impulso forte e uma motivação determinante para sair dele. Aprendendo a encarar as nossas sombras e medos, geramos uma maior resiliência e firmeza no processo da transformação.


4. Crie uma visão realista sobre o processo de transformação.

Não é uma boa ideia esperar que um dia você nunca mais vai sentir raiva ou reagir de certa forma, ou pensar que a mudança vai acontecer de um dia para o outro só porque você decidiu que você quer mudar. Adotar um padrão leva tempo, e da mesma forma, desfazê-lo pode demorar.

Mas se você reconhece que tudo tem o seu ritmo orgânico, a chance de não desistir e aproveitar o processo de aprendizagem é maior. Então curta a jornada e foque no processo e não no resultado. O que é mais importante não é o que acontece, mas a sua relação com o que acontece.


5. Conecte-se com o senso de espacialidade consciente que você é.

O principal desafio dos padrões limitantes é que eles são vivenciados pelo prisma do ego - o falso senso do "eu" separado e escasso. O Eu real é pleno e ilimitado na sua totalidade e inclusividade. Você é o espaço consciente onde todos os padrões são vivenciados mas você não é afetado por eles. Quem é afetado é o ego.


Por isso é tão importante mudar de perspectiva e se permitir descansar no reconhecimento de quem somos antes de ser uma pessoa com a sua história tal. Sendo cada vez mais livre dessa auto identificação, nós abrimos espaço para sair da mesmice e alcançar o nosso potencial autêntico - humano e divino.


Para aprofundar nesse tema, você pode acessar a gravação do webinário que oferecemos sobre o assunto, disponível no nosso canal do YouTube (Despertar na Prática).


Faz sentido para você? E aí, qual é o padrão que te cansou e que precisa se transformar? Bora olhar para isso! 🔥


~ Miho Mihov

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Whatsapp Despertar na Prática
bottom of page